Discípulos de Cristo Jesus

Vivendo Para a Glória de Deus!

A vida cristã deve ser vivida para a glória de Deus somente. Em tudo o que nos empenhamos e fazemos devemos procurar a glória de Deus. Paulo chegou a dizer que até mesmo as coisas mais curriqueiras da vida como o beber e o comer devem ser feitos para a glória de Deus (1Co 10.31).

Nenhum de nós viveremos na plenitude se não vivermos voltados para a glória de Deus. Pois, a plenitude da vida está em viver para a glória de Deus. A glória de Deus produzirá a verdadeira vida plena de satisfação em Deus.

O pastor e escritor John Piper foi feliz quando afirmou que Deus é mais glorificado em nós quanto mais nos alegramos Nele. A glória de Deus e nossa alegria são faces de uma mesma moeda. Quando procuramos verdadeira satisfação vislumbramos e refletiremos a glória de Deus. Pois, a verdadeira alegria resulta na contemplação apaixonada do único ser no universo que tem toda a glória e beleza. A contemplação da beleza de Deus nos deixa encantados e sobressaltados ante inenarrável resplendor.

O Breve Catecismo de Westminster indaga: Qual o fim principal de todo o homem? Ele mesmo responde: O fim principal de todo homem é glorificar a Deus e se alegrar Nele para sempre.

A nossa alegria e a glória de Deus é o propósito de Deus para nossas vidas e o alvo da vida cristã. Toda a plenitude da vida cristã se resume na contemplação do Ser eterno de Deus na Pessoa maravilhosa de Cristo Jesus pela obra persuadora e renovadora do Espírito Santo.

Soli Deo Gloria!

quarta-feira, novembro 02, 2005

Ficarei em Éfeso Até o Pentecostes

Leitura Seleta: I Co 16.8-9.

Comentário: O Grande segredo do pentecostes não está na palavra sair, mas na palavra ficar. Dizia Paulo: ficarei em Éfeso até o pentecostes. O motivo da permanência de Paulo era que uma grande e eficaz porta havia se aberto. Paulo estava disposto, independente das circunstâncias, a permanecer em Éfeso. Ele estava ciente dos perigos e inimigos que tentariam estorvar sua permaneça (e há muitos adversários). Sabemos que Paulo não esperava um pentecostes, como o que ocorrera em Atos dois, porque no sentido histórico não pode ser repetido. No sentido histórico fala da Inauguração da Dispensação da Graça. Da Vinda do Espírito Santo para ficar com a Igreja, até o arrebatamento. Mas Paulo estava esperando, realmente a festa judaica do pentecostes, este é o sentido denotativo, ou seja, o sentido do texto no seu contexto, ou ainda, o sentido literal. Mas queremos destacar o sentido conotativo, ou seja, figurado, ou ainda, um sentido aplicativo o qual aponta para a conclusão de que pentecostes veio a significar o derramamento do Espírito Santo na Igreja. Por isso somos chamados de pentecostais, porque cremos que a experiência de Atos dois não ficou confinada apenas para os discípulos, mas para todos aqueles que crerem. A Vinda do Espírito Santo mudou o significado deste dia festivo, ou melhor, lhe trouxe um sentido novo. Só o derramamento do Espírito Santo em nossas vidas trará um novo sentido!

01. FICAREI – Isto fala de sua resolução. Ele estava disposto, voluntariamente, a ficar. Ninguém detém um homem que está convicto de está realizando a vontade de Deus para sua vida.
No jardim do Getsêmane Jesus disse: Ficai aqui,e velai comigo (Mt 26.38). O segredo é ficar. Quem fica hoje amanhã poderá sair (Mc 16.15).

02. EM ÉFESO – Centro das atividades de Paulo na Ásia Menor. Uma igreja que durante três anos Paulo trabalhou arduamente para propagar o evangelho (At 20.17-38). Foi nesta cidade que Paulo anunciou todo o conselho de Deus. Como diz John Calvino falando da Escritura: a Escritura é a escola do Espírito Santo, na qual nada se omitiu que não fosse necessário e útil de se conhecer; tampouco nada se ensina senão o que convenha saber. Assim também podemos dizer de Paulo, que ele ensinou nada que não fosse necessário e útil de se conhecer e só ensinou o que convinha saber.
Não podemos deixar a nossa Éfeso enquanto não cumprirmos o nosso ministério.

03. ATÉ – Ele não poderia sair enquanto o tão esperado pentecostes acontecesse. Até, fala de paciência e perseverança. Não podemos sair, temos que ficar até o pentecostes acontecer. Existem pessoas que perdem as bênçãos de Deus porque não perseveram. Existem pessoas que não usufruem os cumprimentos das promessas divinas porque não permanecem até ao fim. Para Daniel o mensageiro disse: Tu, porém, vai até o fim! (Dn 12.13). Não obstante os ímpios procederem impiamente (Dn 12.10), apesar das palavras estarem seladas e fechadas (Dn 12.9), o mensageiro ordenou que Daniel fosse até ao fim. Ou seja, persevere. Não desista! Persista! Continue! Vá! Levante-se e prossiga!

04. PENTECOSTES – Como observamos na introdução Paulo falava realmente da festa de pentecostes (festa esta que era comemorada 50 dias após a Páscoa. O termo pentecostes deriva do grego e significa “qüinquagésimo” e no hebraico é festa das Semanas, ou seja, sete semanas depois do domingo da Páscoa). Mas aqui usamos o termo pentecostes no sentido conotativo e não denotativo. Quando falo de pentecoste estou falando de poder, cumprimento da promessa do Pai; estou falando do derramamento do Espírito Santo, de línguas repartidas como de fogo; estou falando do revestimento de poder, da capacitação para realizarmos a obra missionária. Quando falo de pentecostes refiro-me as verdades aurifulgentes do revestimento do Alto, da promessa que nos diz respeito; e não somente a nós, mas também a nossos filhos e todos quantos o SENHOR nosso Deus chama! Ficarei em Éfeso até ao pentecostes!

05. PORQUE – Com esta palavra Paulo estava dizendo: Eu tenho uma causa de ficar em Éfeso. Tenho um motivo! Tenho uma razão! Tenho um incentivo! Tenho um porque! Algo me motiva a permanecer! Não estou ficando para tirar férias, se bem que eu poderia, mas estou ficando por motivos sublimes. Estou ficando porque está na agenda de Deus eu ficar; dizia o grande apóstolo dos gentios. Paulo estava determinado obedecer ao calendário de Deus. Ele estava disposto a cumprir a agenda de Deus. Estava disposto a sofrer qualquer que fossem as intempéries (Cf. At 20.22-24; 21.10-14).

06. UMA – Existem oportunidades que são únicas. Muitas pessoas ficam lamentando a perda de oportunidades. Quantos dentre nós estamos cantando enfadonhamente: Há, eu perdi aquela oportunidade! Como poderia ter testemunhado naquela ocasião! Se eu pudesse voltar! Como fui tolo em deixar passar aquela única oportunidade. E a lista prossegue. Paulo era diferente. Quando uma oportunidade surgiu, creio, ele disse: não posso perdê-la. Não vou deixá-la passar! Tenho que abraçá-la com todas as minhas forças! Talvez não terei outra oportunidade. Já sei o que farei, vou ficar até o pentecostes porque não quero perder esta oportunidade que Deus criou para eu realizar a Sua Obra. Amados irmãos, quantos de nós têm perdido oportunidades! Quantos de nós passamos o tempo a passar o tempo. Revistamos, agora, de coragem e poder do Alto para estar disposto a aproveita as oportunidades. Feliz é o homem e a mulher que tem outra oportunidade. Mas existem oportunidades que são únicas. E amargo é o remorso por tê-las perdidas. Paulo disse: uma... ou seja, não posso deixá-la passar.
Neemias afirmou: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer (Ne 6.3). Paulo estava, como Neemias, disposto a não descer, mas a ficar por causa da grande obra que vislumbrava a sua frente. Muitos nos mandarão recados para deixarmos de realizar a obra de Deus aproveitando cada oportunidade. E outros, nos entreterão para impedir o progresso da obra. Mas como Paulo e Neemias devemos ficar até a obra ser concluída e a oportunidade aproveita e, mormente o Nome Soberano de Deus glorificado.

07. PORTA GRANDE E EFICAZ SE ME ABRIU – A porta da palavra estava aberta. A porta do evangelismo. A porta das provisões divinas.
Paulo descrever esta porta como grande e eficaz. Isto fala-nos da característica da porta. Paulo nos informa que a porta esta aberta. Isto fala da condição da porta.
Não foi Paulo que abriu, mas, com certeza, foi o Senhor Jesus. O Senhor Jesus é especialista em abrir portas (Ap 3.8).

08. E HÁ MUITOS ADVERSÁRIOS – Vários são os adversários do pentecostes. Não havia nada de positividade nisto, e muito menos de animador. Mas, Paulo não era semelhante a muitos “crentes” que só realizam a obra de Deus se não houver dificuldades.
Pessoas que só fazem se tudo estiver favorável para ele. São pessoas que querem guerreia sem inimigos. Querem lutar sem adversários. Querem correr sem concorrentes.


Pr. Ivan Teixeira
Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário: